MORADORES DE RUA EM MEIO A PANDEMIA

Como todos sabem, nunca foi mais importante se dedicar a higiene do que é atualmente, devido ao momento o qual estamos passando. Lavar as mãos, tomar banho e respeitar a quarentena, são as únicas formas de prevenção da doença causa pelo coronavírus, mas infelizmente, muitos não tem condições de se prevenir de forma eficaz.

Aqueles que estão mais expostos são os moradores de rua. O Brasil não possui um número oficial sobre a  quantidade de pessoas nesta situação, porém além de todos os problemas que já enfrentavam antes para sobreviver, agora precisam encontrar uma maneira de não se infectar, dependendo exclusivamente de ações e movimentos externos.

Abrigos emergenciais foram criados em várias cidades para tentar garantir que eles tenham acesso a alimentação e higiene, além do isolamento dos que apresentem sintomas . Se tratam de instalações ou provisórias ou estruturas que não estejam sendo utilizadas, como escolas.

Em Pernambuco, o governo lançou a campanha “Pernambuco solidário” no dia 26/04, que consiste na liberação de R$ 1,4 milhão para 184 municípios, com o objetivo de apoiar os mais vulneráveis socialmente. Além da implantação de pontos de cuidado e abertura de canais de doação, para o arrecadamento de alimentos e produtos de higiene e limpeza.

A arquidiocese de Olinda e Recife criou um comitê para proteção dos moradores de rua, onde foi cedido um prédio, que faz parte do espólio da santa casa de misericórdia do Recife, disponibilizado para o atendimento de pessoas em tais condições.

A Fazenda da Esperança tem aberto suas comunidades para acolher esses irmãos mais necessitados. Já são mais de 500 acolhidos nas Fazendas da Esperança  que tem unidades espalhadas por todo o Brasil. Ali eles e elas tem a possibilidade de encontrar um lar para que se passe essa tempestade e, além disso, reencontrar sua dignidade como pessoa humana, como vimos no depoimento de Cristiano Correa, um dos acolhidos da rua: “Eu nunca esperava que fosse encontrar o paraíso: saí do inferno para entrar no paraíso”.

Na Arquidiocese de Olinda e Recife existe uma unidade da Fazenda da Esperança que já acolheu cerca de 17 pessoas em situação de vulnerabilidade nesse tempo de pandemia. A Fazenda a Esperança está situada no município de Jaboatão dos Guararapes e tem um pouco mais de dois anos de fundação, com a capacidade para 56 acolhidos.

 

Texto por: Francisco de Assis e Ykaro Albuquerque
Alunos do Módulo Bíblia e Hermenêutica Juvenil
Escola de Formação das Juventudes Pe. Antônio Henrique
Comissão Arquidiocesana de Pastoral para as Juventudes

 

REFERÊNCIAS

https://g1.globo.com/pe/pernambuco/noticia/2020/03/26/governo-anuncia-acoes-para-ajudar-moradores-de-rua-durante-pandemia-do-novo-coronavirus.ghtml

https://www.acidadeon.com/campinas/cotidiano/coronavirus/NOT,0,0,1494096,moradores+de+rua+na+pandemia++a+gente+faz+como+pra+comer.aspx

https://www.nexojornal.com.br/expresso/2020/03/28/Quais-as-medidas-para-a-popula%C3%A7%C3%A3o-de-rua-na-pandemia

http://cnbbne2.org.br/covid-19-olinda-e-recife-cria-comite-para-proteger-populacao-em-situacao-de-rua/

https://www.who.int/emergencies/diseases/novel-coronavirus-2019

https://www.vaticannews.va/pt/mundo/news/2020-05/coronavirus-fazenda-da-esperanca-acolhe-500-mendigos-doacao.html

Marcações:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *