DA JMJ PANAMÁ PARA ARQUIDIOCESE DE OLINDA E RECIFE

Raíssa Corrêa de Carvalho e Gabriella de Lima Espíndola na JMJ – Panamá/2019

Duas jovens, Gabriella de Lima Espíndola da terceira etapa da Comunidade dos Viventes e Raíssa Corrêa de Carvalho da Paróquia Santa Luzia – Estância, presente no Setor Juventude da Arquidiocese de Olinda e Recife, compartilham algumas questões feitas pelo presidente da CAP Juventude, Pe. Antônio Gomes SDB sobre suas vivências na JMJ do Panamá.

Acompanhem.

1. Qual o aprendizado participar da JMJ?

Resposta: O aprendizado principal é o reencontro com o Jesus que há no outro. Então, o crescimento espiritual da vivência na JMJ é profundo.
Depois há o aprendizado pessoal, nas trocas de experiências com pessoas de diferentes culturas e países.
Por fim, para mim, também há uma experiência profissional ao que se refere à prática dos diferentes idiomas e a organização e planejamento.

2. No que o tema Mariano inspira sua caminhada?

Resposta: O tema Mariano “Faça-se em mim segundo a tua palavra” remete a entrega total de Maria aos planos de Deus. E eu busco seguir esses passos fazendo a vontade de Deus. Para tanto, a espiritualidade da Comunidade dos Viventes me ajuda a viver a entrega de forma mais concreta e autêntica.

3. Que mensagem você deixa para os que não foram?

Resposta: Primeiramente, eu gostaria de dizer que rezo por todos. Embora eu esteja aqui vivenciando esses dias próxima ao Papa Francisco, a nossa Jornada é diária onde quer que estejamos. Encorajo aos Jovens da nossa Arquidiocese de Olinda e Recife, do Brasil e do mundo que acreditem no sonho como eu acredito. Que eles confiem em Deus e trabalhem para que a vontade dEle se realizem nas suas vidas.

4. O que você traz, fruto da JMJ, para o trabalho com as Juventudes na Arquidiocese de Olinda e Recife?

Resposta: Como fruto da JMJ para nossa Arquidiocese trago o testemunho da vivência em Deus, na certeza de que “quem dá tudo, recebe tudo” concretamente.
Como o Papa Francisco falou na missa, sejamos construtores de pontes no amor, que não tenhamos medo desse amor que gasta a vida. Que o nosso sonho em comum seja Jesus. E que como Maria aprendamos a estar aos pés da cruz.
De forma concreta, nos comprometemos com o Papa Francisco em estudar o DOCAT (Doutrina Social da Igreja) com os Jovens da nossa comunidade.